quandoelavaiembora

QUANDO ELA VAI EMBORA

MAS “ALGO” TEIMA EM FICAR

Quem poderia alegar com tamanha hipocrisia: “eu nunca amei”. O fato é que por mais blindados que possamos ser, nunca seremos mais forte que o choque que levamos no cérebro quando encontramos “A mulher”, aquela que em toda sua ternura irá conseguir quebrar essa barreira e derrubar esse muro.

As pessoas confundem nossa blindagem com medo, não fazemos isso por medo de amar e de sofrer, apenas é o nosso jeito de ser, não distribuímos afeto a qualquer uma nem colecionamos amores.

Não somos do tipo românticos alucinados, tão pouco namoradores de facebook que passam as estações trocando o status de relacionamento.

Percebemos o quão ridículo isso é e não amamos de maneira fácil.

Mas sim, nos amamos, e quando amamos nosso amor é real, não é um filme ou uma linda história que precisa necessariamente de um final feliz, é o sentimento nu e cru. Tudo o que faz do amor, real, as brigas, discussões, o sexo, as carícias, as tardes chuvosas deitados na cama o inferno e o paraíso unidos em uma só mulher, tudo o que faz o amor ser real.

E nós amamos isso, não somente a mulher em sua utópica perfeição, mas sim todas as imperfeições que não vemos em filmes e novelas.

Mas quando você diz FICA, ela diz VOU.

Realmente como entender esse universo brincalhão, o amor que custa a chegar acaba. Ele não nos dá a chance de barganhar, de tentar fazê-lo ficar. Eu digo SIM ela diz NÃO.

E quando ela se vai, acaba levando poucas coisas, mas a bagagem que fica é imensa. E o que ela fará com o que ficou?

Não irá falar com aquele homem que a amava e agora precisa de respostas, precisa entender o porquê?

– Não é problema meu. Diz ela.

Do paraíso ao inferno, a mulher que não quer mais estar na relação tende a ser extremamente cruel. Ela apenas coloca em uma caixa todo carinho e sentimento que nutria por você e endereça: FAVOR DEVOLVER AO REMETENTE.

Não é que ela não o amou, ela amou, mas lembre-se, nosso amor é real, as vezes você nutre esse sentimento por alguém incapaz de sentir o mesmo, que diz te amo como quem diz obrigado.

Sabemos o protocolo que deve ser seguido, mas como esquecer aquele sorriso, aquele maldito sorriso que era capaz de iluminar até o dia mais escuro.

O sorriso de quem amamos quando é direcionado a outro homem nos destrói completamente.

Mesmo assim:

– NÃO ESQUEÇA.

Você não precisa esquecer nada, você fez o seu melhor, você deve aprender a conviver com o que ficou. Mas você não precisa esquecer necessariamente até porque dependendo do grau de envolvimento você não conseguirá esquecer tão fácil.

Não pare no tempo vivendo da lembrança passada mas não aja como se não tivesse feito diferença na sua vida. Se ela tivesse ficado ao seu lado, talvez tudo fosse diferente e mais fácil, mas ela não ficou.

O pior dia das nossas vidas, não é o dia em que perdemos um amor, mas o dia em que descobrimos que o amor da nossa vida”, encontrou o amor da vida dela.

‘Esquece ela’. Algumas palavras ferem mais que a espada.

Por mais que a gente saiba como proceder a dor é inevitável. O sofrimento é opcional? Nem tanto, porém necessário. Somente após perdermos tudo estaremos realmente livre.

A realidade é cruel, mas precisamos nos perguntar.

O que fazer com a nossa “liberdade”?

– FAÇA VALER A PENA.

Amamos e perdemos. Mas no final das contas, valeu a pena amar, nem que por um breve momento.

O amor é o carinho que se dá no presente, os beijos e a saudade da pessoa quando a mesma se faz ausente.

Não são planos futurísticos nem lembranças passadas. Faça apenas o presente valer a pena.

J.F ROZZA

001

J.F Rozza View more

J.F. Rozza – Empresário, Investidor, Educador Financeiro e escritor, formado na vida.
UA-40371773-1