dificil-amar-alguem

Por que é tão difícil amar alguém que não se ama?

Alguns dos pontos abaixo foram delineados a partir de outras postagens sobre a auto-aversão e relacionamentos, em que apesar de fazerem menção, não têm como foco as outras pessoas. Naturalmente, algumas delas são ”imagens espelho” de questões auto-aversivas da própria pessoa:

1. Se o seu parceiro auto-aversivo sentir que falta algo em si mesmo, ele/a pode acreditar que você preencha essa lacuna. Isso pode fazer você se sentir bem num primeiro momento, a maioria das pessoas gostam de se sentir necessárias, mas se for levado longe demais, isso pode se transformar numa carência excessiva ou até mesmo numa dependência, fazendo com que você se sinta menos apreciado por quem você é, mas apenas pelo que você pode fazer para o seu parceiro auto-aversivo.

2. Pode ser difícil se comunicar com o seu parceiro auto-aversivo, se ele ou ela insiste em interpretar sempre o pior nas coisas que você diz. Isso geralmente acontece porque ele/a projeta os seus próprios sentimentos de inadequação em você. Você pode se pegar monitorando tudo o que fala ao seu parceiro ou, até mesmo, deixando de se comunicar completamente à medida que a frustração aumentar. Por exemplo, o seu parceiro auto-aversivo não sabe lidar bem com elogios e tenta rejeitar (“Não, eu não sou tão inteligente assim”), minimizar (“Eu tive um bom dia, isso não vai voltar a acontecer”), ou desviar a atenção (“Claro, mas olhe o quão melhor você fez”). Você quer incentivar essa pessoa, ajudá-la a diminuir a sua auto-aversão, mas isso é difícil se o seu parceiro continuar a rejeitar o seu apoio.

3. Da mesma forma, o seu parceiro auto-aversivo pode rejeitar a sua ajuda quando ele/a claramente precisar dela. Ele/a pode não se sentir digno da sua atenção e não quer incomodar você. (Estranhamente, isto pode coincidir com a carência – a pessoa auto-aversiva pode desejar intensamente algumas coisas de você enquanto rejeita outras). É extremamente difícil ver a pessoa que você se importa sofrendo. É pior ainda quando você tenta ajuda-la, mas acaba sendo rejeitado, especialmente quando você somente conseguirá ajudar se ele/a permitir.

4. Pode ser muito desanimador cuidar de alguém que não se importa consigo mesmo. Depois de algum tempo você pode começar a sentir que seus esforços são em vão; você gasta tempo e energia tentando impulsionar o seu parceiro, enquanto ele/a se esforça para se rebaixar novamente.

Então, o que o parceiro de uma pessoa auto-aversiva pode fazer?

Se você já está com essa pessoa por um bom tempo, então você provavelmente é uma pessoa muito atenciosa e paciente – e isso é maravilhoso – mas você também precisa cuidar do seu próprio bem-estar. Você pode tirar uma imensa satisfação e realização em ajudar o seu parceiro, além do amor e alegria que ele/a retribui para você. Mas se você achar que está sacrificando muito do seu próprio bem-estar em prol das necessidades do seu parceiro; se você está cansado/a de sentir que seus esforços são em vão; ou se você sentir que suas necessidades estão sendo negligenciadas ou suprimidas, então algo precisa mudar. Isso pode implicar em um diálogo sobre as suas preocupações, ou pode significar que você precisa deixar esse relacionamento. Faça o que fizer, você não pode deixar que as necessidades do seu parceiro eclipsem as suas. Por mais que você cuide da pessoa, você não é responsável por ele/a. A incapacidade de outra pessoa se amar nunca deve ser a razão para que você se esqueça de amar a si mesmo.

Fonte: PsychologyToday traduzido e adaptado por Psiconlinews

 

Atenciosamente: Rafael Tobelem

Rafael Tobelem View more

"Seja a diferença que você quer ver no mundo" e "Faça a diferença sempre para o BEM" São as frases que moldam minha convicção. Tudo o que você vê hoje é resultado dessa convicção. Sou acadêmico de Direito, escritor, autônomo, e não tento fazer a diferença, eu faço. Contato: 041(96) 8108-4165
UA-40371773-1