tresporquinhos

CONTOS DE FADAS: VERSÃO REALISTA

OS TRÊS PORQUINHOS

 “Era uma vez três irmãos, nasceram da mesma mãe (sério?), tiveram a mesma criação, as mesmas oportunidades. No entanto, um deles vivia em uma casa de palha, o outro vivia em uma casa de madeira e o terceiro vivia em uma casa de tijolos?

Mas porque isso, se eles tinham todos as mesmas condições quando nasceram, o que aconteceu no decorrer do caminho, porque um irmão se torna bem sucedido e os outros não?

Esqueci de mencionar, o nome do irmão que vivia na casa de palha era Vadiozinho, o que vivia na casa de madeira era o Conformadinho e o que vivia na casa de tijolos era o Esforçadinho.

Durante sua criação o Vadiozinho acostumou-se a apoiar-se nos seus irmãos, nos estudos sempre copiava os trabalhos dos irmãos, sempre ia onde os irmãos iam, era uma sombra que os seguia e os imitava.

Quando precisava ajudar em alguma tarefa, sempre dava um jeito de sair de fininho, alegava ser o mais novo, o bebê da casa e por isso fazia corpo mole para tudo.

A infância passou e os irmãos tornaram-se adultos. Mas o Vadiozinho ficou apenas velho, e não adulto. Não sabia viver para si mesmo, e fazia as coisas de qualquer jeito. Construiu uma casa de palha, vivia da sua pequena horta, e passava os dias deitado na rede observando da sua porta os dias passarem.

Já o Conformadinho, sempre acatou as ordens do irmão mais velho, nunca o contrariou e nunca teve a coragem de expor as suas idéias, contentou-se em ser um seguidor ao invés de líder, na fase adulta optou por morar perto dos seus irmãos, caso um dia precisasse de algo bastava atravessar a rua, construiu para si uma casa de madeira e passava os dias conformado com a sua vida e lutar por algo melhor seria arriscar o conforto atual.

O Esforçadinho, desde criança mostrou-se um líder nato, cuidava de seus irmãos, ajudava a sua mãe na casa. Sempre era o primeiro a dizer “eu faço” quando alguma tarefa era designada aos irmãos. Não por maldade tomava a frente das situações, apenas queria poupar os seus irmãos de terem que passar por problemas, não sabia ele que um homem precisa enfrentar os problemas para amadurecer e não pode esconder-se atrás de um protetor a vida inteira.

Quando atingiu a fase adulta, queria viver com conforto e sempre em busca de algo mais, passava os dias trabalhando em sua plantação e construiu para si uma casa que fosse capaz de suportar qualquer tempestade.

Certo dia, houve rumores que um tornado estava a espreita, apelidaram o tornado de “lobo mal” pois lembrava um conto da infância de um lobo que destruía as casas das pessoas apenas com o vento que soprava.

Naquela fatídica tarde, o tornado formou-se e em sua rota estava o endereço dos irmãos. O primeiro a sofrer com a catástrofe foi o Vadiozinho, sua casa foi ao chão e como era acostumado a apoiar-se nos outros, correu para a casa do seu irmão.

O Conformadinho não gostou muito da idéia, pois seria uma mudança em seu estilo de vida mas não pode dizer não ao irmão. Mas sua casa não era forte o bastante, por mais que tenha trabalhado em alicerces para sua vida não era suficiente para agüentar um tornado.

Correram pedir socorro ao seu irmão mais velho, esse saberia o que fazer já que sempre soube como agir. Estariam seguros na casa do irmão.

O lobo mal passou e em seu rastro deixou destruição. Os irmãos estavam vivendo as custas do Esforçadinho. Este percebeu que mesmo dando teto aos seus irmãos, isso não os transformaria em homens de verdade.

Não dê migalhas, não dê o peixe, ensine-os a pescar.

O irmão então passou parte dos seus conhecimentos aos demais, mostrou como gratificante são os frutos do trabalho e do esforço diário, enfim seus irmãos tiveram o que sempre precisaram, não um irmão mais velho que o protegia de tudo e de todos, mas um guia que os ensinasse a viver.”

J.F ROZZA

001

J.F Rozza View more

J.F. Rozza – Empresário, Investidor, Educador Financeiro e escritor, formado na vida.
UA-40371773-1