CONTOS-DE-FADAS2

CONTOS DE FADAS: VERSÃO MASCULINA

HOMENS PREFEREM AS SAFADAS

Algumas pessoas já ouviram a famosa frase:

         “O homem quer uma “santa” para apresentar aos amigos, e uma “puta” na cama.

         Devo dizer que quem escreveu essa frase, está muito, mas muito certo. Basicamente é isso mesmo, mas o nosso querer vai muito além dessa pequena fantasia, obviamente queremos uma tigresa na cama, mas queremos uma mulher de valor também na hora de escolher como companheira.

         É do senso comum que as mulheres não querem ir para cama com um homem no primeiro encontro. Nos dias de hoje, com toda modernidade, isso se tornou bobagem, com qual finalidade elas vão fazer joguinhos, se vai acabar indo para a cama no segundo ou terceiro encontro. Então, é total perda de tempo esse tipo de fazimento, podendo até mesmo impedir a relação de progredir.

         “A única razão para esperar um mês por sexo é se ela tiver 17 anos e 11 meses.” – Barney Stintson

         Eu sempre uso uma artimanha para tentar persuadir a mulher que tem esse tipo de pensamento. Ela sempre vai ficar com o pé atrás, pensando: “O que ele vai pensar de mim”, “Se eu der para ele hoje, amanhã ele não vai me ligar”.

         É aí que a maioria se engana, porque se der no primeiro encontro, amanhã vamos querer mais e por isso vamos ligar. Então, eu falo o seguinte, nessas horas:

         – Meu anjo, do que adianta você adiar o inevitável, você percebeu assim como eu percebi que tivemos química, que é algo além do sexo. Você deveria temer se fosse o caso de uma noite só, mas é muito provável que teremos muitas noites como essa, eu quero conhecê-la de verdade e não quero ser só mais um na sua vida… Resultado esperado: Cama!

         Algumas vezes funciona, outras não, e eu percebi que a mulher que gosta de se fazer acaba provando do próprio veneno, porque, muitas vezes, o homem já nem a convida para sair uma segunda vez, porque, da próxima vez, o homem vai preferir sair com uma mulher que ele sabe que vai ir para cama no primeiro encontro, ou até mesmo repetir a figurinha só para não passar vontade.

         Não é que as mulheres devam ser fáceis, mas este é o propósito no final das contas, não é?

         Conversei com uma mulher recentemente, em uma festa, e ela me falou que toda mulher sai para a noite querendo transar. Só que não encontram um cara decente e acabam voltando para casa sozinhas. Elas têm vontade e querem sexo. Você precisa suprir e atender às  exigências e pré requisitos para conseguir isso.

         O fazimento e a versão “santa” da mulher, hoje em dia, já estão ultrapassados.

         A mulherada está exigente, tem alguns casos que até reclamam se você não a levar para o motel logo após o encontro.

         As mulheres devem esquecer que homem não gosta de mulher fácil e safada, e para falar a verdade, nós adoramos as mulheres safadas, mulher santinha é muito chato. Salvo se for para casar, mas mesmo assim, casar com uma santinha é certeza de acabar traindo.

         Recordo de um fato não tão distante, até bem recente, que aconteceu neste último inverno. Eu estava saindo com uma estudante de direito, ela me chamava de misterioso, que eu fazia o estilo conquistador que aparece nos filmes, mas eu de especial não tenho nada, sou um homem bem normal. Não é necessário nenhuma beleza fenomenal, basta estar arrumado.

          Ela falava também que eu era o cara mais “cinza” que ela conhecia, todo misterioso, não me apegava. Ela me convidou para jantar, e eu fui fazer uma investigação no facebook, vi umas fotos dela, e vi que ela fazia um curso de culinária, então foi aquele estalo no meu cérebro. A oportunidade certa para levá-la para minha casa. Convidei-a para fazer algum prato que tivesse aprendido recentemente, ela cuidava da comida, e eu compraria um vinho. Mas, para quebrar todo o fator “surpresa”, ela ainda me fala durante a conversa no facebook:

         – Tá, eu vou fazer a janta e ainda vou ser a sobremesa, isso? E não deu risada, nem nada.

         Eu pensei, pensei no que responder, ela não falava mais nada e eu respondi.

         -E não esqueça que também teremos vinho para janta.

         Ela deu uma risadinha, e eu já percebi que ela estava disposta, já deixou claro. Nessa altura, achava que ela era safada e o sexo séria ótimo.

         Chegamos ao meu apartamento, ela faz a janta, começamos a beber e assistir a um filme.

Ela vem e fala para mim.

         – Eu só vou te usar, pode ser?

E eu respondo.

         – Usando bastante, pode até ser.

         E aí a coisa começa, sem muitos detalhes para vocês, e chega a um determinado ponto da transa, em que ela atinge o orgasmo durante o sexo, coisa rápida, mal tinha começado, e ela desaba ali do lado, manda eu parar e deu por hoje, e eu ali com o foguete pronto para ir à lua.

         Entendi na hora o propósito dela, o fator “usar” da coisa. Aí ela vem falando para eu não ficar de cara e isso e aquilo, eu não a deixei tomar o controle do jogo, pois a intenção dela certamente era de me deixar irritado, tentando me controlar e manipular. Para a surpresa dela, eu falei que estava tudo bem, eu não estava de cara e estava cansado, seria melhor deixar para outro dia. Ela concordou, ficamos ali abraçados um pouco, e então a levei para casa.

         Observação: Nem a louça a desalmada lavou.

         Outro final de semana, outra janta. Dessa vez pedi uma pizza mesmo, para agilizar a coisa, a janta era só uma desculpa, então eu começo os “trabalhos”, as preliminares estavam uma beleza, beijo no pescoço, puxão de cabelo, tudo certo,  vamos para o quarto, pergunto o que ela acha de sexo oral, e ela diz que não faz esse tipo de coisa. Porra, minha filha, o sexo oral é 50% do prazer durante o sexo. Se não rolar, nunca será a mesma coisa. Ah! Vai para o inferno, puta que pariu, não existe relacionamento que vá para frente, se a mulher for toda santinha e isso e aquilo.

         Engoli as palavras, e comecei o básico, quando ela estava entrando no auge, eu parei e falei que não estava curtindo e melhor deixar assim. Foi difícil fazer isso, mas quis mostrar para ela que não iria fazer a mesma coisa que fez da última vez.

         Passado alguns dias, ela vem e me pede desculpas, para eu dar outra chance e isso e aquilo. Eu não quis mais saber, se era para ficar estressado toda vez, melhor partir para outra do que ficar com as partes inchadas e passar vontade.

         Nunca mais ela se faz na vida dela.

         Após esse breve relacionamento, passadas algumas semanas, eu conheço uma outra mulher, com quem eu saí quase um mês inteiro, essa não era santa, era bom estar na companhia dela, e era uma safada na cama, do jeito que a gente gosta, sem limitações.

         E foi aí que eu pensei que, se as mulheres ficarem de muita mimimi hoje em dia, é dar um tiro no próprio pé. Se você não der, outra vai dar e o homem quer saber de sacanagem, são poucos os que aguentariam uma mulher que não faz nada.

         Depois elas levam chifre e não sabem por quê. Se deixar o homem com fome, ele vai saciar essa fome em outro lugar. Gostamos das safadas, não adianta, quanto mais safada, melhor. Tem que ir para cama no primeiro, no segundo, no terceiro encontro, e se não quer ir, nem aceite o convite para jantar. Tem mais é que aproveitar o momento e ser feliz.

001

J.F Rozza View more

J.F. Rozza – Empresário, Investidor, Educador Financeiro e escritor, formado na vida.
UA-40371773-1