PIADADATURMA

COMPORTAMENTO

NÃO SEJA A PIADA DA TURMA

Toda turma de amigos, colegas, tem aquele amigo meio “sem noção”. Aquele que quer tanto agradar, quer tanto fazer os outros gostarem dele, que força diversas situações e acaba por tornar-se uma piada.

O tiro sai pela culatra e ele acaba se expondo ao ridículo, quando ele deveria apenas tentar ser ele mesmo.

Você não precisa que todos gostem de você, você não precisa fazer todos rirem com você. Quando tenta isso, eles acabam rindo de você.

Esse mesmo amigo sem noção, não consegue ver o que faz, cada vez mais ele fica excluído dos programas dos amigos, porque ninguém o suporta. E ele, ao invés de ser indiferente com isso, e tentar mudar essa parte babada de ser, acaba fazendo bem o que afasta as pessoas.

Tentar tornar-se íntimo demais, encostando demais quando vai conversar, fazendo piadas idiotas, falando muito alto, Deus como odeio pessoas que falam alto.

Cada vez mais ele vai achar que precisa agradar a todos para não ser excluído, e cada vez mais ele será excluído até cair em uma depressão total.

Existem outras situações também, quando a pessoa gosta de uma outra e se expõe a situações onde passa por idiota, apenas para agradar ou fazer a outra pessoa sentir-se bem.

Você não é o bobo da corte de ninguém, você deve ser indiferente, se as pessoas começam a evitar você, seja esperto, seja mais fechado, não se abra para qualquer um. Não conte toda a sua vida para alguém que apenas sorriu para você. Não seja aquele cara de quem todos têm pena.

“Coitado dele, não tem amigos.”

Quantos otários sem noção já conheci, eu mesmo poderia ter sido um otário sem noção, do tipo chato mesmo.
Minha sorte foi ter percebido cedo, que você não deve mudar para agradar os outros, as pessoas que gostarem de você como você é, permanecerão na sua vida, quem não gostar, não permanecerá, não é nada tão complicado de se entender.

Não faça papel de palhaço só para estar no grupinho dos “legais”. As pessoas mais populares não são legais, elas atraem outros porque todos “acham” que elas são ‘fodas’, que são isso e aquilo, quando, na verdade, elas são vazias por dentro.

Quando eu era criança, e eu gostava de uma menina no colégio, ao invés de ir falar com ela, conversar, eu dava um tapa ( de brincadeira) no primeiro que aparecia na frente, só para passar a imagem de “fodão” e pior que dava certo, mas era muito errado. Até a vez em que quebrei o braço do meu melhor amigo numa “briguinha”, eu deveria ter uns 12 anos na época, me senti muito mal e nunca mais dei uma de valentão com ninguém.

Vocês, ao lerem meus livros, perceberam que eu não aprendo escutando, né? Só aprendo tomando na cabeça.

Agora me diga, por que você ainda iria fazer as coisas erradas, se eu estou dizendo o que funciona e o que não funciona na sua vida?

Comecei falando sobre paciência e, agora, nem sei mais o que estou escrevendo, vou tentar consertar o desvio de assunto.

Decisões tomadas com paciência podem salvá-lo de um profundo abismo ou uma profunda decepção.

Tomar decisões de cabeça quente é a maior estupidez que pode fazer.

Tenha calma, tudo pode e deve ser analisado, você não precisa aprender errando. Aprenda escutando (lendo).

J.F Rozza

trilogiacdh

J.F Rozza View more

J.F. Rozza – Empresário, Investidor, Educador Financeiro e escritor, formado na vida.
UA-40371773-1