cinco-passos-para-reparar

Cinco passos para reparar o seu relacionamento

Alguns anos atrás, uma terapeuta chamada Susan, com quatro décadas de experiência, confessou que funcionava mais como uma facilitadora de divórcios do que uma conselheira para os casais, porque, para 90% dos casados que ela atendia, já era tarde demais. Mas em alguns casos o divórcio não é inevitável; há coisas que você pode fazer para parar a espiral descendente do seu relacionamento mais íntimo.

 

1 – Revigore o seu relacionamento

Você sabia que o tédio tem um papel importante no declínio da satisfação conjugal? Não é apenas para o conflito que você precisa prestar atenção, mas também nos níveis de engajamento. O que você está fazendo para se aproximar?

Lembra-se de como você se sentiu quando conheceu o seu cônjuge ou parceiro, e da alegria que sentiu? Muitos de nós, presos nas tensões do dia-a-dia, entre chamadas de telefones e e-mails,  se esquecem do simples prazer que há em conversar diretamente. Arthur Aron e seus colegas fizeram uma série de experiências nas quais reproduzia sentimentos de proximidade, através da interação pessoal. Em um relacionamento de longo prazo, este tipo de conversa, que num primeiro momento foi a base do relacionamento, é muitas vezes abandonada e esquecida. Traga-a de volta compartilhando seu tempo com o seu parceiro/a. Faça perguntas que vão além do mundano, como “Se uma bola de cristal pudesse dizer-lhe a verdade sobre si mesmo, sua vida, o futuro ou qualquer outra coisa, o que você gostaria de saber?”, saia do convencional.

2 – Elimine padrões negativos

“A mesma velha ladainha” é o que um certo alguém na minha vida costumava dizer com desdém, com os braços cruzados sobre o peito, sempre que eu falasse qualquer coisa que estava me incomodando. Essa interação realmente tem a reputação de ser o assassino do relacionamento mais eficaz de todos e um preditor confiável do divórcio. Se este é um padrão no seu casamento e os dois desempenham ambos os papéis, é preciso reconhecer isso e trabalhar no que você pode fazer para mudar. Obviamente, isso tem que acontecer em um momento de calma, não de agitação.

3 – Redescobrir o toque

O toque no seu relacionamento tem sido relegado para dentro do quarto? Estudos mostram que tocando um ao outro, especialmente durante a época de stress, não só é uma forma primitiva e mais direta de mostrar compaixão e sentimento para o seu parceiro, mas também aumenta o  senso de conexão com o seu parceiro. De acordo com o trabalho de Jennifer L.Goetz e outros, o toque está envolvido em dois processos sociais relacionados à compaixão e à formação de laços de cooperação. O toque faz você consciente de seu parceiro e sua dor e ajuda-o a reforçar essa consciência. ´´Toque”, aqui, significa apenas algo sutil, como a mão no seu antebraço, por exemplo, e não um gesto físico ameaçador ou arrogante.

4 – Aumento compromisso

Constantes críticas corroem o compromisso e acabam desgastando o relacionamento. Se você tende a responsabilizar tudo o que dá errado na sua vida conjugal à personalidade do seu parceiro, dizendo por exemplo: “É tão típico de você” ou “Você sempre pensa em ninguém além de você mesmo?” – Você está em território tóxico e precisa prestar atenção. Como mostra a pesquisa, os casais mais felizes e satisfeitos generalizam sobre as coisas que dão errado no dia-a-dia; eles não personalizam.

5 – Gratidão

Finalmente, um pouco de gratidão ajuda. Expressar gratidão, um estudo descobriu que não apenas melhorar o conceito do outro na relação, mas também amplia o da pessoa que expressa gratidão. Os autores ressaltam que a expressão de gratidão é tanto uma comunicação com o outro como consigo mesmo; reduz a dissonância dos sentimentos. É claro, um parceiro que se sente apreciado é encorajado a ser mais amoroso e apoiador no futuro.

Fonte: www.psychologytoday.com

Atenciosamente: Rafael Tobelem

Rafael Tobelem View more

"Seja a diferença que você quer ver no mundo" e "Faça a diferença sempre para o BEM" São as frases que moldam minha convicção. Tudo o que você vê hoje é resultado dessa convicção. Sou acadêmico de Direito, escritor, autônomo, e não tento fazer a diferença, eu faço. Contato: 041(96) 8108-4165
UA-40371773-1