A RESPONSABILIDADE SOBRE SUA VIDA

VOCÊ MOSTRA RESULTADOS

OU PREFERE DAR EXPLICAÇÕES?

Uma das coisas fundamentais a serem entendidas é a lei fundamental do desenvolvimento pessoal, que, na verdade, é uma lei da Natureza: para todo efeito existe uma causa; ou determinada causa gera um efeito; ou tudo o que você planta você colhe.

Tomemos um exemplo para explicar melhor essa lei. Digamos que você se olhe no espelho, veja uma barriga e diga para ela mesma: “Poxa… não estou gostando dessa barriga, não é algo que eu quero para mim”. Daí vem um questionamento: como essa barriga foi construída? Você deu um mal jeito enquanto dormia e a barriga cresceu do dia para a noite? Claro que não! Aquela barriga foi construída ao longo de vários dias, meses ou mesmo anos. O excesso de peso, o excesso de gordura foi provocado porque, provavelmente ao longo de meses e talvez anos, você comeu além do necessário, além do que ela gastava de energia – certamente não comeu muito alface, brócolis, verduras; provavelmente comeu mais pizza ou outros alimentos ricos em carboidratos e gorduras. Então, a barriga é uma coisa que foi construída – é RESULTADO.

Um hábito ou um vício também são coisas construídas. Tudo o que acontece de bom ou de ruim é construído. Uma pessoa que fala bem hoje, que tem excelente capacidade de oratória, provavelmente teve uma série de atividades que foram a conduzindo para se tornar um excelente orador.

Tudo o que você vive hoje em sua vida, de alguma forma, é consequência de coisas que você fez antes. Causas que você criou em sua vida que levaram a esses efeitos que você vive hoje. Sim: você ter ou não dinheiro, ter ou não um corpo bacana, ter ou não um relacionamento com uma pessoa legal – isso tudo é efeito e o autor, quase que 100% das vezes é você mesmo.

Quando entramos em contato com esse tema, as pessoas costumam buscar causas externas, culpados para a situação que elas vivem hoje: “Não consegui isso, porque aconteceu aquilo na época do Collor”; “Aconteceu isso por conta da situação econômica”; “Aconteceu isso por conta do meu pai, minha mãe” – a pessoa procura algum alvo externo para colocar a culpa.

Quando você coloca a culpa em outras pessoas ou em situações ou em coisas que estão fora de você, você está no processo de VITIMIZAÇÃO. Esse é um paradigma central, normal em nossa sociedade. A nossa sociedade acredita em vitimização. As novelas e os filmes transmitem uma ideia de vitimização. Quem vai salvar o planeta Terra? Só o super herói vai salvar o planeta Terra. Tem que aparecer o super herói para nos salvar porque nós, simples mortais, não temos essa capacidade. Nós estamos sem poder para fazer isso: tem que vir uma coisa de fora. Quem vai resolver seus problemas? É um advogado, é o Governo, vou votar nessas eleições que tudo vai mudar. Sempre é alguém “externo” nunca nós mesmos.

Nossa cultura nos habitua com a noção, a ideia de que as coisas simplesmente nos acontecem, que somos vítimas do ambiente do qual nós nascemos: claro que não estamos descartando aqui os fatores ambientais que exercem sua influência – a ideia aqui não é propagar a fantasia de onipotência, longe disso. Porém, muito mais do que imaginamos, as coisas dependem exclusivamente de nós, independente de fatores externos. Isso é uma escolha pessoal. No que eu vou acreditar: ou acredito que eu produzo as causas de minha vida ou se eu sofro dos efeitos de causas externas – essa é uma escolha pessoal. É a diferença sobre em que você quer acreditar.

Saiba que você é agente de suas causas, você é quem produz as causas de sua vida e elas geram os efeitos, mesmo aqueles que você não quer viver: um salário baixo, estar gordo, estar magro demais, fuma, tem um relacionamento ruim, tem um relacionamento bom.

Tudo o que acontece de bom ou de ruim em sua vida é um efeito de coisas que você fez (ou deixou de fazer) ANTES. É uma questão de filosofia pessoal. É uma filosofia de empoderamento, de poder pessoal.

Você precisa tomar as rédeas, tomar para você o poder de produzir as causas em sua vida. Aceitar, entender e acreditar que você é o agente das causas em sua vida. Se você está gordo, você pode, na próxima refeição, iniciar uma nova causa que vai ter novos efeitos acumulados nos próximos dias, semanas, meses. Você pode tomar uma postura diferente em relação ao trabalho, em relação à profissão, em relação aos negócios, você pode ter um resultado financeiro diferente – desde que você PRODUZA AS CAUSAS.

O QUE É PODER PESSOAL?

Para quem já leu os livros escritos pelo Rozza (Clube dos Homens vol1: http://ow.ly/AXkJM e Clube dos Homens vol2: http://ow.ly/AXkxN) percebe quase que um tom de voz que mostra poder, mostra que ele é o criador da sua própria vida. Isso é muito nítido. Ele sempre foi assim, seguro, congruente? Provavelmente não. Cedo ou tarde ele desenvolveu o que se chama PODER PESSOAL. O processo de empoderamento trata-se de caminhar da posição de vítima (do sistema, da sua família, da sua criação, do modelo econômico, etc.) para uma posição em que você sabe que quem produz o que acontece em sua vida, quem produz os resultados, é você mesmo: VOCÊ QUE CRIA AS CAUSAS E ELAS PROVOCAM OS EFEITOS.

Existem argumentos tanto para apoiar esse modelo em que você pode mudar a sua vida quanto existem argumentos que você não tem esse poder. Você acredita que você pode iniciar um processo em sua vida e mudar tudo? Você acredita que você pode efetivamente mudar todos os resultados que você tem em sua vida? Mudar relacionamentos, sua vida financeira, sua saúde, a qualidade de suas amizades, o tipo de pessoas que fica ao seu redor? Sim, é possível transformar completamente todas as áreas de sua vida. Mas primeiro você tem que assumir a responsabilidade pela mudança.

O conceito de poder pessoal trata-se de aceitar que você é quem produz as causas de sua vida. O poder pessoal é a ideia de que você exerce essas capacidades em sua vida, você cria as causas em sua vida. É uma crença, é uma decisão: você quem decide acreditar no poder pessoal.

Se eu adoto uma filosofia de vitimização, que sou vítima do ambiente, da minha classe social, da minha família e tudo mais, como que eu vou mudar a minha vida? Quem tem o poder para mudar minha vida? O Presidente? O Governador? O Prefeito? Outra pessoa? “Por que meu casamento é ruim? Porque ele/ela não presta”. Nesse exemplo, quem tem o poder para mudar? A outra pessoa. Eu dependo da outra pessoa querer mudar, eu dependo do Presidente querer mudar, eu dependo do povo inteiro votar melhor na próxima eleição para que minha vida mude. É uma filosofia de muita passividade, concorda? Eu tenho que esperar o mundo mudar para que minha vida mude…

Quando acreditamos em vitimização, em que só as circunstâncias, que o outro, que o mundo nos afetam e criam as circunstâncias em nossas vidas, nós ficamos sem poder, nós não podemos fazer nada: podemos apenas esperar e reclamar.

Mas onde isso pode te levar, acreditar nesse tipo de coisa? Provavelmente não pode te levar muito longe. Então qual é a questão do poder pessoal? “Eu posso mudar a minha vida, eu posso fazer as coisas diferente; EU É QUE CRIO AS CAUSAS E ELAS FAZEM OS EFEITOS”.

PODER PESSOAL É TOMAR AS RÉDEAS DE SUA VIDA; se você não as toma, você pode ter apenas duas coisas na sua vida: OU VOCÊ TEM UM RESULTADO OU VOCÊ TEM UMA EXPLICAÇÃO.

VOCÊ PREFERE TER RESULTADOS OU EXPLICAÇÕES?

Phillip Souza

trilogiacdh

Phillip Souza View more

Empresário, educador financeiro, consultor em finanças pessoais, apaixonado por desenvolvimento pessoal e por ensinar!
UA-40371773-1